cover noticias

Strife: um MOBA novo e simples

24/03/2015 11:27:03

O gênero MOBA será a estrela principal de todas as notícias relacionadas a jogos online do próximo ano. Alguns estúdios, como os veteranos S2 Games, arriscaram lançar um segundo título dentro desta categoria, com resultados muito bons.

 

Strife não competirá com Heroes of Newerth, já que está direcionado para um público totalmente diferente: jogadores que não se arriscam ou que abandonam os jogos MOBA por não possuírem experiência suficiente. É o que acontece por exemplo, em jogos como League of Legends ou Dota 2, em que a presença de adversários altamente dificulta a evolução dos novatos.


Se trata de um público diferente e excluído: jogadores de consoles, jogos casuais ou de outros gêneros, e Strife pretende atrair esse público com uma proposta sem complicações que evite a frustração do novato. Porém, após a aquisição de experiência por parte do jogador, Strife deverá encontrar uma alternativa para que ele permaneça e mantenha o interesse no jogo, evitando assim a mudança para jogos de nível mais avançado. Confira o que o jogo oferece:

 

 

 

O caminho mais simples é o melhor


Strife libera e facilita a vida dos jogadores através de mapas menores que permitem uma ação mais rápida (será mais fácil descobrir os inimigos e também ser descoberto por eles). Além disso, o sistema Crafting oferece ao jogador bastante liberdade na construção de papéis, o tema central está relacionado às diferentes habilidades que cada jogador adquire para seu herói, já nas versões tradicionais deste tipo de jogo essas características não são expressivas, com o domínio de classes pré-determinadas. 

 

 

 

Enredos mais profundos


Na maioria dos jogos MOBA a história é uma característica secundária, que é considerada atualmente apenas pelos jogos de console. Strife é desenvolvido em um mundo, no qual convivem vários personagens de diferentes origens, e cada um tem a sua razão para lutar. Além disso, S2 Games planeja lançar uma série de comics, colocando em prática as narrativas transmídia que estão em alta atualmente.

 

 

 

Menos classes de personagens, papéis mais flexíveis 


Apesar do número reduzido de personagens, Strife oferece aos jogadores uma possibilidade maior de personalização, diferenciando-se dos papéis ou classes, algo incomum em jogos MMO/MMORPG, inclusive nos MOBA’s. Dessa forma, os jogadores não estarão tão vinculados a um modo de jogo específico, e poderão experimentar e escolher qual estilo de jogo é mais conveniente. 

 

 

 

Sistema de gestão visual das habilidades através das mascotes


As mascotes de Strife são uma maneira de exibir e gerenciar de forma visual as habilidades do seu personagem, deixando de lado as barras de pontos e focando na interação, isso vai muito além do aumento de habilidade que os personagens podem conseguir. As mascotes tem suas próprias habilidades, podem evoluir, e ao atingir determinado nível são capazes de fornecer poderes especiais ao personagem.

 

 

 

Ações rigorosas para evitar trolls na comunidade

 

 

Não é possível ver as estatísticas de outros jogadores, nem bater papo com os jogadores da equipe adversária, algo que combate a competitividade “ruim”. Ademais, o jogo está totalmente focado em um modelo sandbox: os ganhos são divididos com os outros membros da sua equipe, evitando a disputa por recursos dentro do mesmo clã.


Existe também um sistema de ‘karma’ que avalia a conduta do jogador de acordo com os votos da própria comunidade. Isso pode afetar as recompensas recebidas no jogo, sendo assim um troll não irá beneficiar ninguém, enquanto as boas atitudes poderão ser recompensadas com itens raros.


O que os desenvolvedores não esclarecem é o fato de que alguns jogadores poderiam dar pontos negativos deliberadamente para prejudicar seus adversários. Contudo, Strife aparenta ser um jogo "good-vibe", no qual não vale a pena ser um troll.
Sendo assim, podemos concluir que Strife não é apenas mais um MOBA, e sim um jogo simples, diferente e novo, direcionado aos jogadores que ainda resistem ao gênero e aos que não recebem atenção necessária do mundo dos jogos online. Além de que, o jogo poderia ser um bom começo para os novatos e um exemplo de boas práticas relacionadas à gestão de comunidade e moderação - desde que o sistema de ‘karma’ funcione.

 

This website uses cookies and third-party cookies in order to offer you the best user experience. If you continue to use this site you are giving
your consent and acceptance of the above cookies and acceptance of our cookies policy. Find out more about our cookies policy here. Close.